Tv Islamismo No Brasil NOVO















Estamos com 5Hs e 10 minutos de video na nossa tv, contanto toda a verdade....

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Homossexualidade e Islamismo - JIHAD do AMOR


Jihad do Amor (Jihad Of Love) é um documentário dirigido pelo indiano muçulmano e homossexual Parvez Sharma. Os participantes do documentário são muçulmanos que desejam viver a sua homossexualidade livremente e continuar praticando a fé islâmica. 

O documentário foi filmado clandestinamente em 12 países: Arábia Saudita, Irã, Iraque, Paquistão, Egito, Bangladesh, Turquia, França, Índia, África do Sul, Estados Unidos e Reino Unido e em nove línguas. Para a proteção de algumas pessoas (entre participantes eseus familiares), o diretor usou recursos para esconder os rostos ou filmou apenas silhuetas, pois, existe o risco de morte em países como Irã (ou Irão), Arábia Saudita e Paquistão.

"Jihad do Amor" tem sido também conhecido sob a designação ‘Em nome de Deus’. A palavra ‘jihad’ ou ‘guerra santa’, diante das reações do povo islâmico às opressões tem tido outras conotações. O seu significado é bastante complexo e o documentário tenta recuperar o conceito que se refere à luta dos fiéis de se manterem no caminho de Allah (Deus, em árabe).

Há uma luta extrema de muçulmanos e muçulmanas que vivem em países onde há proibições de seus relacionamentos homoeróticos, os levando a uma dupla vida para serem aceites na sociedade.

Na África do Sul, Muhsin Hendricks, um imame (líder religioso) casado e com filhos, declarou-se homossexual num programa de rádio e ouviu pedidos de pena de morte. No Egito, onde ser gay é ilegal, o jovem Mazen com 20 anos é obrigado a fugir depois de ser preso, torturado e violado por estar numa boate LGBT no momento em que esta foi invadida pela polícia. Maryam, uma lésbica que vive em Paris, e mantém uma relação de longa-distância com a sua namorada, Maha, no Cairo. Uma mãe muçulmana na Turquia aceita o casamento lésbico de sua filha mais velha. Quatro gays iranianos fogem de seu país e buscam asilo no Canadá. Para muitos a saída tem sido a fuga e são encontrados refugiados na França, no Canadá e na Turquia (um dos poucos países de maioria islâmica onde a homossexualidade não é criminalizada).

fonte https://www.youtube.com/watch?v=SKa7vdDo8ug&feature=em-uploademail

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário